Barra de vídeo

Loading...

terça-feira, 24 de novembro de 2015

O Safado do 105 - Mila Wander


A analista de sistemas Raissa Magalhães finalmente compra um imóvel e realiza o sonho de morar sozinha. Assim que ela se muda para a casa de número 104, descobre que seu novo vizinho, que ela apelida de Calvin, é um chef de cozinha alto, bonito, jovem e sarado. Com o tempo, ela descobre que dormir em seu novo quarto será uma missão impossível. Da casa 105, geminada com a sua, chegam, noite após noite, gemidos e gritos de prazer das mulheres que visitam seu vizinho. A vocação do rapaz para a safadeza não só impedirá Raissa de dormir profundamente, mas irá incitá-la e excitá-la de tal maneira que ela, também, começará a frequentar o 105. O desejo de Raissa se transformará em paixão. Só que a analista de sistemas sabe muito bem que se apaixonar por um homem com tamanho currículo sexual pode não ser a coisa mais sensata. Conseguirá Raissa mudar o jeito irresponsável e descompromissado de seu vizinho, fazendo-o se apaixonar por ela? Ou será que almejar um futuro amoroso ao lado de um safado convicto é pura ilusão?

Editora/Ano: Selo Essência/2015
Categoria: romance erótico, comédia romântica
Nota: 4/5

* Resenha publicada originalmente no blog Livros y Viagens


Olá pessoal, tudo bem?

Hoje vamos falar um pouquinho sobre o romance erótico nacional O safado do 105. E vamos com calma pessoal, antes de torcerem o nariz para a capa ou título, por achar que o livro é um pornozão, saibam que se trata sim de um erótico, mas com história, e uma história ótima, por sinal.

Vamos lá?

Raissa é uma analista de sistema de 28 anos, que acabou de sair de casa em busca da tão sonhada liberdade. Ela é a mais velha de 3 irmãos, sempre fazia muitas coisas para a família, e desejava um pouco de individualidade. Assim, Raissa se muda para uma pequena casa geminada, que na verdade era uma casa única, que foi dividida em duas. Ela vive no 104, e logo descobre que tem um vizinho lindo e gatoso vivendo no 105. O primeiro encontro com o vizinho foi pra lá de inusitado, já que o homem estava usando apenas uma cueca Calvin Klein, e nada mais. E é por causa da peça íntima que Raissa o apelida de Calvin, já que ele não disse seu nome, e o pouco que ela sabe é que ele é cozinheiro.

A vida calma e tranquila que Raissa tanto planejou cai por terra devido aos hábitos noturnos de seu vizinho. As paredes construídas para separar as casas são muito finas (acho que de gesso :o), e é possível escutar tudo de um quarto para o outro. E vamos apenas dizer que Calvin é beeeem ativo durante as noites, e sempre estava com mulheres diferentes. Resultado: barulhos e mais barulhos dos encontros sexuais do rapaz. Não foi atoa que o outro apelido que Raissa deu ao vizinho gato foi O safado do 105.

A atração entre Raissa e Calvin foi imediata e intensa. Ele é mesmo um safado, bem galinha, e não teve pudores de cair matando em cima da nova vizinha, e eles acabam dormindo juntos. Porém, em vez de iniciarem um relacionamento sexual, como eu imaginei, Raissa tenta impor distancia e forçar uma amizade, em um plano de conquistar o vizinho e o conseguir um relacionamento de exclusividade. E aí a história começa para valer.

“Depois de um segundo, lembrei que o cara era um cafajeste, cretino, maníaco sexual. Um... safado fofo, protetor, sensível, que sabe cozinhar, entende de jardinagem, monta móveis (…)”
Pág. 59

A autora conseguiu criar uma história com personagens reais e verossímeis. Devo admitir que fiquei um pouco assustada, porque nunca na minha vida eu me identifiquei tanto com uma personagem quanto com a Raissa. Temos muitos características em comum, como o fato de sermos irmãs mais velhas que assumiram responsabilidades demais em casa, e que ao mesmo tempo que almejam independência, também são extremamente ligadas a família. Somos mandonas, determinadas, ansiosas, estressadas, e adoramos uma gordice (sim, ela usa a palavra gordice, como eu). A principal diferença entre nós duas é a paciência de Jó que Raissa teve com Calvin, na busca pela sua confiança, porque eu tenho paciência 0.

Calvin foi um personagem que me cativou. Geralmente, quando lemos um erótico com protagonista galinha, ele é forte e determinado, sabe o que quer e pronto. Calvin não é assim, ele é um menino que não cresceu, que passa o rodo geral porque não sabe agir de outra forma. Ele é sensível e inteligente, embora não deixe isso aparecer para os outros, e o mais importante, Calvin é um homem extremamente carente, inseguro e com autoestima no chão! O cara sabe que é gostoso, e pega geral por isso, mas ao mesmo tempo, não consegue enxergar outras qualidades em si mesmo, além do físico. Adorei essa construção da autora, porque tornou o personagem mais real, e com uma possibilidade enorme de crescimento.

A autora soube desenvolver bem o relacionamento dos personagens, que é rachedo de tensão sexual, amizade, humor e companheirismo. A evolução dessa relação é bem convincente, e não temos aqui aquelas pessoas que mudam do dia para a noite. Muito pelo contrário. Raissa e Calvin têm suas doses qualidades e defeitos, erros e acertos, e cresceram e amadureceram em um processo lento e contínuo, ao longo de todo o livro. E claro que tenho que mencionar Clarice Lispector. Sim, a grande autora brasileira. Porque suas frases, pensamentos e textos são tão presentes o tempo todo, e marcam cada fase do relacionamento dos protagonistas, que ela é praticamente um personagem central na trama.

Os personagens secundários são ótimos, em especial a família de Raissa. Eles não tiveram um destaque individual, apenas interagindo com os protagonistas, mas foram importantes para mostrar relações familiares de amor, amizade e também para deixar claro que algumas pessoas nem sempre são o que esperamos ou acreditamos.

Esse é um livro hot, super hot, com cenas sensuais descritivas e quase explícitas. Como eu já disse, Cavin é um safado, rs, então ele adota uma linguagem bem direta e indecente. Por isso, estejam avisados, porque esse livro definitivamente não é para menores. Porém, para quem não curte eróticos por achar a história fraca, saibam que esse livro tem sim uma excelente história, não é sexo por sexo, e vale muito ser lido!

O safado do 105 é um livro envolvente e delicioso de ler. Devorei suas 500 páginas em 3 dias. A narração é em primeira pessoa, quase que integramente feita pela Raissa, embora tenha alguns poucos capítulos de Calvin. A narrativa é divertida, seguindo bem o estilo da escrita dos chick lits, e há muitas cenas hilárias. A comédia prevalece na trama, mas também há romance e uma pitada de drama.

Sobre a diagramação, as páginas são amareladas, e embora tenha achado as letras um pouco pequena, não chegou a me incomodar. A capa é muito coerente com a trama, e esse modelo é gato, assim como imagino que Calvin seja.

Esse foi um livro muito gostoso de ler, por isso, agradeço muito a Aline pela cortesia. Agradeço também a autora, por fazer um livro único, e não ter divido a história uma duologia ou trilogia, já que poderia ter feito isso.

Abraços

Nenhum comentário:

Postar um comentário