Barra de vídeo

Loading...

domingo, 13 de setembro de 2015

Alma? de Gail Carriger

ISBN: 9788565859042
Tradutor: Flávia Carneiro Anderson
Páginas: 308
Ano: 2013
Editora: Valentina
Pontuação: ♥ ♥ ♥  
Alexia Tarabotti enfrenta uma série de atribulações sociais, quiproquós e saias justas (embora compridíssimas) em plena sociedade vitoriana. Em primeiro lugar, ela não tem alma. Em segundo, é solteirona e filha de italiano. Em terceiro, acaba sendo atacada sem a menor educação por um vampiro, o que foge a todas as regras de etiqueta. E agora? Pelo visto, tudo vai de mal a pior, pois a srta. Tarabotti mata sem querer o vampiro ― ocasião em que a Rainha Vitória envia o assustador Lorde Maccon (temperamental, bagunceiro, lindo de morrer e lobisomem) para investigar o ocorrido. Com vampiros inesperados aparecendo e os esperados desaparecendo, todos parecem achar que a srta. Tarabotti é a responsável. Será que ela conseguirá descobrir o que realmente está acontecendo na alta sociedade londrina? Será que seu dom de sem alma para anular poderes sobrenaturais acabará se revelando útil ou apenas constrangedor? No fim das contas, quem é o verdadeiro inimigo, e... será que vai ter torta de melado? Uma das séries de Steampunk mais cultuada do mundo.
Alma?, primeiro volume da série Protetorado da Sombrinha me pegou de jeito! Indo além de minhas expectativas em diversos pontos, este livro me encantou. Fazia um bom tempo que não me divertia tanto com um livro que trata de seres sobrenaturais. A história é muito gostosa de ler, e tem elementos no ponto certo que, juntos, garantem e formam uma grande aventura.

Conhecemos Alexia Tarabotti, tratada durante todo o livro como srta. Tarabotti. A moça é uma preternatural, ou seja, ela não possui alma e consegue anular/ neutralizar os poderes dos seres sobrenaturais, como vampiros, lobisomens e fantasmas. Não bastasse isto, ela é uma solteirona com sangue italiano, e uma aparência fora dos padrões de beleza admissíveis da sociedade britânica: pele azeitonada, cabelos negros, nariz avantajado e um corpo com curvas exuberantes.

A moça se mete em encrenca logo no início do livro, ao se deparar com um vampiro errante que está fora do controle, e o mata. O DAS (espécie de polícia do mundo sobrenatural) se envolve, claro. Assim como Lorde Conall Maccon, lobisomem Alfa, em auxilio de seu Beta, professor Lyall, em comando do DAS para investigarem o caso. Mas o que todos não esperavam é que o caso foge do controle, por diversos fatores. A srta. Tarabotti parece ter atraído para si toda a atenção do mundo sobrenatural e todos os envolvidos com o mesmo. Os vampiros ficam em polvorosa com a morte de um vampiro que não faz parte de suas colmeias. Srta. Tarabotti é perseguida por um estranho homem, e seu fiel companheiro: um ser com rosto horrendo que parece feito de cera, e que estranhamente não morre. O que seria?
Lorde Maccom e a jovem se veem envolvidos de uma forma perigosa, e uma atração que vem de tempos atrás finalmente vem à tona.

Um dos fatores que achei muito interessante no livro é que os seres humanos tem total ciência e convivem de forma civilizada com os seres sobrenaturais na Inglaterra. É claro que, de forma velada, ainda têm um certo receio e medo, mas convivem de forma pacífica com eles. Isto se vê até no fato de que muitos deles são famosos, ocupam cargos de alto poder na politica e realeza, entre outros.
Também gostei da ambientação que a autora criou, o modo como ela mesclou a tecnologia e a ciência com o mundo vitoriano. O lado steampunk do livro fica por conta de algumas engenhocas bem interessantes e a ciência que tem grande papel na trama, com experimentos e grandes teorias. O que garante aventura e mistérios na medida certa.

Aliás, como disse no começo da resenha, há muito tempo não me divertia tanto com um livro com enfoque sobrenatural. Eu fiquei bastante satisfeita com o mundo criado por Gail Carriger. Toda a hierarquia e costumes estão muito bem colocados e delineados. Gostei da narrativa fluída e sagaz da autora, que nos apresenta um humor ácido e inteligente, com aventura, romance e muitos mistérios. E este humor está presente na personalidade dos personagens, nos diálogos e nos acontecimentos do livro. É possível sim, dar risada com diversas situações inusitadas pelas quais srta. Tarabotti Lorde Maccon passam. Também há uma grande dose de romance (nem preciso comentar quem é o casal, preciso!? sim, Lorde Maccon  e srta. Tarabotti). O livro também está recheado de referências a comida, o que me deixou um pouco perturbada e com fome, hehe. Outra coisa que achei interessante é o modo formal como são tratados os personagens. Todos são tratados por seu título e sobrenome, o que dá mais força para a época e os costumes da sociedade da mesma.

Achei os personagens de Alma? bem irreverentes e inusitados. Alexia Tarabotti, além de uma aparência totalmente diferente dos padrões de beleza da época (o que combina, em minha opinião, com sua personalidade marcante), tem um espírito livre e destemido. A moça é bem corajosa, tem um humor irônico e desmedido, e uma inteligência e curiosidade fora dos padrões. Eu simplesmente adorei a srta. Tarabotti e sua sagacidade. Mas, minha admiração mais forte e profunda fica por conta de Lorde Conall Maccon (suspira). O lobisomem tem uma personalidade e porte que garante sua presença aonde quer que esteja. Ele tem um humor duvidoso e impossível, é esquentado, temperamental, bagunceiro, e teimoso e... lindo! Não só isso, mas é protetor e preocupado. Um lobisomem/ homem tudo de bom. Os dois têm uma química muito bacana e formaram um par perfeito para garantir ainda mais o divertimento e entretenimento em Alma?, desvendando e vencendo o perigo juntos.

Mas a graça do livro não fica só por conta do casal não. Para minha grande surpresa os personagens secundários são tão bons quanto. Aliás, vale a pena ressaltar que todos eles têm seu espaço e importância na trama, e contribuem ainda mais para formar uma história tão boa. Como por exemplo Lorde Akeldama. Ele é um vampiro errante, que não faz parte de nenhuma colmeia. Se veste de forma excêntrica, tem atitudes extravagantes, e parece falar na maior parte do tempo em itálico. Também adorei este personagem, que garante uma boa dose de humor ao livro, e nos faz tomar conhecimento de muitos pontos importantes da história. Professor Lyall, o Beta de Lorde Maccon também merece um grande destaque, sua inteligência, lealdade e sua personalidade calma ganharam minha admiração. Floote, o mordomo da casa da srta. Tarabotti é uma figura paternal e protetora, que ajuda a moça sempre que necessário e parece estar sempre à disposição. Claro, há muitos outros personagens, mas estes realmente me cativaram, e garantiram uma história cheia de personalidade.

É difícil falar do livro de forma geral, sem soltar grandes informações. Mas é mais difícil ainda não demonstrar meu entusiasmo ao término da leitura, que me foi tão agradável. Volto a dizer que o livro cumpre seu papel, e se tornou um dos livros do gênero que mais gostei até o momento. Aguardo ansiosa pela sequência das aventuras de Alexianeste mundo sobrenatural.

Nenhum comentário:

Postar um comentário