Barra de vídeo

Loading...

sábado, 19 de setembro de 2015

Muito Além do Tempo de Alexandra Monir

Livro cedido pela editora para resenha
ISBN: 9788564850927
Série: Timeless, vol. 1
Tradução: Martha Argel e Humberto Moura Neto
Ano de Lançamento: 2015
Número de Páginas: 272
Editora: Jangada
Classificação: ♥♥♥ 
Uma tragédia atinge a família de Michele Windsor, e ela é forçada a morar com os avós que nunca conheceu. Em sua mansão histórica em Nova York, repleta de segredos de família, Michele encontra um diário que tem o incrível poder de fazê-la retroceder no tempo, até o ano em que foi escrito, 1910. Lá Michele encontra o rapaz que ela viu em sonhos durante toda sua vida. Em pouco tempo, ela se vê apaixonada por ele. Quando se dá conta, Michele está vivendo uma vida dupla, lutando para conciliar seu mundo de estudante com suas viagens ao passado. Mas, quando se depara com uma descoberta terrível, ela é lançada numa corrida contra o tempo para salvar o homem que ama, e empreender uma busca que determinará o destino dos dois.

Muito Além do Tempo é o primeiro livro da série Timeless, de Alexandra Monir. Traz em sua história um tema que eu adoro, que é a viagem no tempo. Gosto de ver como cada autor explora este assunto, como cada um dá sua visão para a passagem do tempo, as viagens, os motivos, etc. Este livro já traz uma visão mais mágica e românticado tema, e este foi um dos fatores que me fizeram gostar da leitura.

Os Windsor são uma das mais abastadas e famosas de Nova Iorque, que há muito tempo construiu seu império de poder e tradição e, sendo uma família tradicionalmente rica, tem o costume de ter tudo o que quer. Isso se estendeu à atual herdeira, Marion. Depois que ela conheceu um belo e misterioso rapaz, e se apaixonou, ela decidiu viver seu grande amor, mesmo que fosse contra a vontade de seus pais. Ela fugiu para a Califórnia e lá recomeçou a vida, mas um dia seu amado sumiu, e ela, vendo-se sozinha, teve que lidar com o fato de estar grávida e não poder/querer mais contar com os pais. Por isso, decide-se a fazer o melhor possível para criar sua filha.

Michele Windsor, vive feliz com a mãe Marion. Apesar de seu nome Widsor carregar um grande peso, e não conhecer o pai, ela tem com sua mãe uma relação de amizade e companheirismo que a ajudam a viver bem. Marion cortou há muito tempo relações com os pais e não quer saber de nada que tenha relação com eles. O melhor é que ninguém liga a garota comum e simples ao famoso nome, pois, afinal, como ela poderia ser da mesma rica e impressionante família que eles veem nos livros de história? Michele tem o sonho de ser letrista (escrever músicas), tem muitos sonhos e gosta da simplicidade de sua vida. Até um dia em que, ela e a mãe haviam combinado de almoçar juntas depois da escola, mas Marion não aparece. Michele descobre da pior maneira possível que sua mãe havia falecido em um acidente de carro. Perdida e sem chão, ela descobre em seguida que a mãe havia designado os avôs Windsor, os mesmos que haviam renegado a filha, para serem os tutores de Michele. Tendo que se mudar para Nova Iorque, Michele se vê perdida em meio a dor da perda e a dor de ter que deixar tudo para trás: memórias, amigas e sonhos.

- Me escuta, Michele. Não existe nada nesta vida capaz de te destruir, a não ser você mesma. Coisas ruins acontecem com todo mundo e, quando acontecem, você não pode simplesmente desmoronar e morrer. Você tem que lutar. Senão, é você quem perde no final das contas. Mas, se for em frente e lutar, você ganha. Assim como eu ganhei tendo você.

Mas, além de lidar com todos os novos e indesejados sentimentos e acontecimentos que estão fazendo parte de sua nova vida, Michele também tem que lidar com um grande mistério que a envolve. Há muito tempo, ela vem sonhando com um belo rapaz de olhos claros, que não faz parte de seu tempo, parecendo vir de uma época mais antiga. Ela sempre sonhou com ele, mas quem seria? Teria algum significado seus sonhos românticos com este jovem estranho? Michele ainda está tentando se adaptar à sua nova realidade em Nova Iorque quando descobre uma chave antiga em meio às coisas da mãe. A chave, de alguma forma sobrenatural, a faz viajar no tempo para uma Nova Yorque de 1910, e lá não só interage com suas ancestrais, como descobre, finalmente, quem é o rapaz que sempre esteve em seus sonhos.

Em terceira pessoa, Muito Além do Tempo, traz uma narrativa e trama agradáveis e bem construídas, que me cativou. De início confesso que tive um pouco de receio para que caminhos a autora ia seguir, e, até certo ponto ainda não estava convencida das ideias da autora. Um pouco antes da metade do livro comecei a me envolver mais com a história, com a personalidade de Michele e com as ideias que a autora ia tecendo. Quando dei por mim estava completamente envolvida com o livro.

Já li várias histórias com a abordagem da viagem no tempo, e, apesar de Muito Além do Tempo não ser exatamente um livro original, aborda o tema de uma forma bem interessante. Um dos principais focos do livro é a "magia" que envolve estas viagens de Michele através do tempo, pois não há nada científico ou mirabolante, apenas o que parece permitir estas viagens é uma mistério sobrenatural que envolve a família e a própria protagonista. Outro ponto que me agradou foi o modo como a autora desenvolveu o romance. É tão leve e gostoso que não se tornou tedioso ou previsível, e foi muito agradável. Sabe aqueles romances que vão tomando forma aos poucos, que são bonitos como uma música? Foi assim que eu senti o envolvimento de Michele e Philip.

Mais uma coisa que me agradou foi que a autora não se prendeu apenas no romance para dar seguimento à sua história, e deu bastante ênfase aos costumes da época e às relações familiares. A riqueza de detalhes descritos pela autora em se tratando da cultura e costumes da Nova Iorque do passado é maravilhosa e enriqueceu ainda mais a trama. Outro ponto, em se tratando das relações familiares, é a força que as mulheres Windsor com as quais Michele entra em contato no passado, demonstram. Este livro não só mostra a força do amor em diversas maneiras, como mostra a força feminina.

Michele de repente foi inundada com o orgulho de ser uma Windsor. As mulheres da família Windsor haviam passado por tragédias e sofrimento, mas sempre tinham mantido a cabeça erguida e seguido em frente, sem perder a esperança. Eram as mulheres mais fortes, mais inspiradoras que ela já conhecera, e sentia-se estimulada por elas, motivada a seguir seu exemplo.

Muito Além do Tempo é um livro que me surpreendeu de todas as maneiras positivas. Se mostrou muito mais agradável do que imaginava, e no fim teve um peso maior do que esperava. Achei que o livro se voltaria para um enredo mais fútil e juvenil, mas me alegrou ao mostrar sua força com um enredo muito bem elaborado, prezando por algo mais maduro. Eu gostei do modo como Michele se mostra madura, determinada, e constroi um amor forte e igualmente maduro. As ideias e sonhos de Michele, assim como no que ela acredita, ressaltam ainda mais a maturidade da protagonista. A história também segue por caminhos mais densos e misteriosos, e mostra valores como amizade, tradição, liberdade, lealdade, perdas, amor, eternidade. Alexandra Monir conseguiu criar uma história que foi além das minhas expectativas e foi muito mais rica do que esperava.

Muito Além do Tempo é o livro ideal para quem gosta do tema também; de uma história de amor mais madura do que os juvenis têm apresentado, mas ainda assim leve; de uma história com muito mistério, magia e personagens femininas fortes e determinadas, que tem um grande destaque e força na história. Recomendo e espero ansiosamente pelo segundo volume, pois o final foi surpreendente! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário